Sabe aquelas manias que você tem ou aquelas ideias que seu amigo te passou? Então, elas podem fazer com que sua moto dure bem menos que o esperado.

Muitas pessoas reclamam que suas motos não duram tanto quanto elas esperavam, ou ainda que algumas partes dela se desgastem muito mais rápido do que o que foi indicado pela montadora. Mas será que elas já pararam para pensar que o motivo disso ocorrer é justamente a forma como elas utilizam o veículo? Em algumas situações a maneira como o condutor pilota a moto é determinante no tempo que esta vai se manter “em forma”. Confira abaixo cinco erros que muitos de nós cometemos com nossos brinquedos de duas rodas:

miolo

  1. Embreagem

Você é daqueles que anda o tempo todo com a mão apertando a embreagem? PARE! Quanto menos tempo ela for acionada mais tempo ela vai durar e, consequentemente, menos você vai gastar com manutenção. É melhor se acostumar a utilizar o ponto morto de vez em quando. Outra situação que pode acabar com sua embreagem é a famosa “queimada”, onde o piloto faz a rotação do motor subir utilizando a embreagem.  Só se indica utilizar essa artimanha em rampas muito íngremes e, ainda assim, o indicado é aprender a dosar melhor o acelerador, mantendo sua embreagem intacta.

 

  1. Amortecedor

Sabe o amortecedor da sua moto? Então, mais cedo ou mais tarde ele precisará ser trocado, independente da velocidade que você pilota ou das ruas que você trafega. Após certo tempo, ele pode perder sua capacidade de amortecer, e aí você pode ter problemas sérios, como trincas ou até rupturas no chassi. E você com certeza não quer isso. Na suspensão dianteira, é preciso trocar óleo e molas internas. A forma mais eficaz de saber quando deve ser feita a substituição é quando, em frenagens mais fortes, ocorre o perigoso “fim de curso”, quando a suspensão perde sua função e chega ao batente inferior.

 

  1. Correntes

Embora também não tenha sido feita para durar para sempre, a vida útil de sua corrente, assim como da coroa e do pinhão, pode ser aumentada se você utilizar um spray lubrificante adequado. A opção própria para isso, no lugar do óleo queimado de motor, tem como função aderir à superfície e não ser arremessado rumo ao piloto ou ao passageiro; outro benefício é que esse spray é ecologicamente correto. Também é possível alterar a vida útil de sua corrente simplesmente deixando ela com a tensão correta, sem ser muito esticada nem extremamente frouxa.

 

  1. Caixa de Direção

Outra situação em que é necessário a sensibilidade do condutor para perceber se a calibração está ideal é o da caixa de direção. Andar com o componente frouxo dá sinais claros, como barulhos na região abaixo do guidão – que ficam mais altos em ruas esburacadas – que a peça deve fazer uma visita ao mecânico. Novamente a manutenção previne acidentes e custos, já que, se não for corrigido, o problema pode afetar também os rolamentos. Mas e agora, será que meus rolamentos já estão desgastados? Calma. A melhor forma de verificar isso é inclinar sua moto no cavalete central e sentir se há calos ao virar o guidão. E lembre-se, andar com a caixa de direção apertada é tão ruim quanto andar com ela frouxa.

 

  1. Rotações

Então você curte forçar o motor, deixando-o em altas rotações durante longos períodos? Ah, mas o barulho que faz é legal. Realmente, um ronco como esse impressiona a todos, mas pode acabar com a vida útil de sua moto. E, para os que não sabem, o contrário é tão prejudicial quanto. Andar com o motor em rotações muito baixas também é ruim, visto que essas ações reduzem muito a durabilidade da moto e, no futuro, farão com que você reflita se realmente valeu a pena fazer todo aquele barulho para impressionar uma garota…