A maioria das pessoas associa leilões a compra de produtos extremamente baratos. Você pode adquirir uma motocicleta de qualidade, com bom-custo benefício e com preço baixo, porém, é importante tomar cuidado, pois em algumas situações a história não é bem assim.

Conheça alguns prós e contras de se arrematar uma moto em um leilão:

Leia com atenção os termos do leilão em que você vai participar. O edital contém informações importantes sobre o funcionamento e regras do evento.

Leilões são sempre realizados por órgãos competentes e confiáveis, como o Detran (Departamento Estadual de Trânsito) e as motos leiloadas são todas legalizadas. Portanto, não há chances de lidar com uma situação ilegal.

– Analise bem a motocicleta. Problemas mecânicos ficarão por conta do novo proprietário. Se possível, leve um mecânico para avaliar o veículo antes da compra.

O valor pago em leilão cobre qualquer dívida existente, como IPVA, por exemplo. Ou seja, a moto passa para o novo proprietário livre de débitos, conforme artigo 328 do Código de Trânsito Brasileiro.

– O pagamento pelo arremate da motocicleta, via de regra, precisa ser feito à vista, por isso, tenha seu dinheiro reservado.

A moto não poderá ser levada no dia da compra no leilão. A retirada fica em função de uma data combinada pelo vendedor no dia da transação.

– Algumas seguradoras se recusam a cobrir motocicletas arrematadas em leilão.

Depois dessas informações, você acha à compra de motos em leilões um bom negócio?