O funcionamento das peças que compõe o motor de uma motocicleta é uma coisa linda de se ver. É incrível compreender a engenhosidade do mecanismo que impulsiona todas as peças de uma moto. Cada peça tem sua importância. Cada parte desempenha uma função, e todas estão ligadas entre si. Se uma parte não funciona, certamente afetará todo o conjunto.

Para esse capítulo da série “Peças de motos: como funcionam?”, da Controlflex, vamos tratar das válvulas de admissão e válvulas de escape. As válvulas de motos são peças bem pequenas mas que possuem uma importância crítica para gerar o movimento necessário no motor.

As válvulas são as peças responsáveis pela entrada e saída de ar e combustível no motor. Elas funcionam a partir da participação do comando de válvulas, que movem os ressaltos e exercem a força que irá empurrar as válvulas para baixo e para cima.

Válvula de admissão: essa válvula tem o objetivo de permitir a entrada de ar e combustível dentro da câmara de combustão. É nessa câmara que ocorre a explosão que empurra o pistão para baixo, impulsionando a biela e o restante de todo o conjunto.

Válvula de escape: essa é a válvula que irá liberar os gases resultantes da explosão dentro do cilindro. Essa ação de evacuaros gases é necessária para dar espaço a entrada de mais combustível de modo a reiniciar o processo sucessivamente.

As válvulas devem funcionar em perfeita harmonia já que a frequência deste ciclo é muito alta e proporcional à rotação do motor. A fabricação dessa peça é feita de modo a garantir que a peça resista ao constante calor que recebe da explosão dentro da câmara.

Fabricação da válvula

A confecção das válvulas varia para cada fabricante, mas no caso das peças fornecidas pela Controlflex Aftermarket, são utilizados materiais conforme norma japonesa, como SUH3 e SUH35, que asseguram uma longa vida em serviço.

Durante a fabricação é realizada a solda na superfície de assentamento da válvula para aumentar o tempo de vida útil. Em seguida, adota-se o método de solda de liga resistente ao desgaste sobre a área de vedação e ponta da haste. Esse processo também é utilizado na extremidade do assentamento do balancim.

A superfície da haste da válvula tem a rugosidade menor que RA 0.4, o que proporciona uma perfeita combinação entre o vedador e a válvula, reduzindo o gotejamento de óleo no cilindro. A vedação das válvulas deve ser testada em 100% da capacidade de vedação dos gases. Todos esses fatores garantem estabilidade ao motor.

As peças da Vini by Controlflex atendem aos requisitos das maiores montadoras de motos do país (e até do mundo), desenvolvidas por uma especializada engenharia, para quem busca a mesma qualidade e desempenho do original. Não deixe de conferir o nosso catálogo e conheça as peças de motos que estão disponíveis para o seu modelo.