Muitas das peças que pertencem a uma motocicleta são desconhecidas de grande parte dos motociclistas. Não são muitos os que têm uma noção ampla sobre como uma peça funciona dentro do motor, ou qual o seu papel no funcionamento de toda a mecânica.

Para facilitar a vida dos motociclistas que desejam entender melhor como é o funcionamento de determinada peça durante o uso na moto, a Controlflex inicia a série “Peças de motos: Como funcionam?”, que periodicamente irá explicar com detalhes a função de algumas peças essenciais de motos.

Para esse primeiro capítulo vamos explicar com particularidades como funcionam os pistões:

O pistão é a parte mais ativa de um motor de motocicleta. Ele deve resistir ao calor, atrito e inércia, para não mencionar todas as vibrações causadas pelo movimento do virabrequim e comando de válvula. O motor precisa ser perfeitamente equilibrado para garantir que nenhuma vibração indesejada sobrecarregue os pistões.

Como um dos principais componentes do motor, o pistão precisa funcionar corretamente. O pistão está localizado dentro do cilindro do motor e sua atuação obviamente envolve o trabalho de várias outras peças, mas para não nos perdermos, vamos nos concentrar no trabalho realizado pelo pistão.

Dentro do cilindro, o pistão desce e abre espaço para a mistura de ar-combustível entrar; em seguida, sobe pressionando essa mistura. A “pressão” atinge o ponto máximo e, nesse ponto, a vela de ignição gera uma faísca aumentando repentinamente a temperatura, e fazendo com que ocorra a explosão da mistura, empurrando o pistão novamente para baixo e forçando todas as outras peças a se locomoverem.

Uma vez que a mistura ar-combustível é inflamada pela vela de ignição, uma onda de chamas se propaga através da câmara de combustão em velocidades extremas. O aumento radical da temperatura é controlado por um sistema de arrefecimento externo (usando óleo ou ar).

Para o bom funcionamento do pistão, é necessário que ele esteja acompanhado com os famosos anéis. Os anéis de pistão são vitais, pois são eles que vedam a câmara de combustão enquanto suportam o calor extremo e a fricção causada pelo movimento do pistão no interior do cilindro. As funções básicas dos anéis então são duas: compressão e raspagem de óleo. A raspagem do excesso de óleo ajuda a criar uma fina película de lubrificação para que os outros anéis tenham o mínimo de atrito evitando o desgaste entre anéis e cilindro.

Pistões costumam ser fabricados com alumínio e/ou várias ligas à base de níquel, garantindo a dureza e a força para cumprir a sua missão. Dependendo da aplicação, os engenheiros vão testá-los incansavelmente em uma câmara de pressão.